Grupo de 54 países exige pedido de desculpas

13/01/2018 14:44
Grupo de 54 países exige pedido de desculpas de Donald Trump
Trump teria se referido ao Haiti, El Salvador e nações africanas como 'buracos de merda'
Presidente teria se referido ao Haiti, El Salvador e nações africanas como 'buracos de merda'
 
Jornal do Brasil
 
Todos os países africanos na Organização das Nações Unidas (ONU) solicitaram, na sexta-feira (12), que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, peça desculpas pelos comentários "racistas" que expressou, na última quinta-feira. Trump teria se referido ao Haiti, El Salvador e nações africanas como "buracos de merda", durante reunião na Casa Branca para discutir um acordo para a imigração.
 
O grupo de países africanos convocou um encontro em caráter de urgência, e seus embaixadores emitiram um comunicado afirmando estar "extremamente consternados" pelas palavras de Trump, classificados como "escandalosos, racistas e xenófobos". Ainda de acordo com os diplomatas, há uma "contínua e crescente tendência dentro do Governo dos EUA em relação à África e aos afrodescendentes, denegrindo o continente e as pessoas de cor". Os embaixadores ainda expressaram "solidariedade" com o Haiti e com os outros países atacados por Trump.
Trump nega xingamento
 
As declarações de Donald Trump foram divulgadas na quinta-feira pelo jornal The Washington Post e confirmadas depois pelo Los Angeles Times. Durante a reunião. Trump teria ainda afirmado que preferiria receber imigrantes da Noruega a receber cidadãos de El Salvador, do Haiti e de países de África. Contudo, Trump negou, no Twitter, ter usado a expressão "países de merda", apesar de ter admitido ter usado uma linguagem "dura”. "A linguagem usada por mim no encontro do Daca foi dura, mas não foi aquela linguagem que usei. O que foi realmente duro foi a proposta extravagante feita - um grande passo atrás para o Daca", escreveu o presidente.
 
O senador democrata Dick Durbin, no entanto, afirmou que o presidente usou linguagem "vil e racista" no encontro.
 
Repercussão
 
O porta-voz das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Rupert Colville, afirmou que as palavras de Trump eram "vergonhosas e chocantes" e que tais comentários poderiam causar xenofobia por parte da população norte-americana contra os imigrantes.
 
"Não se pode se referir a países inteiros como 'buracos de merda'. Isso pode danificar e destruir a vida de muitas pessoas [porque] legitima que elas sejam atingidas com base nos países de onde vem. Elas vão contra os valores universais que o mundo duramente perseguiu depois da Segunda Guerra Mundial e o Holocausto", acrescentou Colville.
 
Já a porta-voz da União Africana, Ebba Kalon, afirmou que a fala de Trump a deixou "francamente assustada". "Dada a realidade histórica de como muitos africanos chegaram nos Estados Unidos, como escravos, essa declaração vai contra qualquer comportamento e prática aceitáveis. E é particularmente surpreendente, já que os EUA são um exemplo global de como a migração fez nascer uma nação construída sobre fortes valores de diversidade e oportunidade", ressaltou Kalon.
 
 

Notícias

22/07/2018 17:53
Bernardo Mello Franco: A eleição mais difícil  O Globo A total imprevisibilidade da corrida...
22/07/2018 17:47
Com aval do Diretório Nacional, o deputado estadual Dr. Pessoa, será candidato a governador pelo...
22/07/2018 15:00
De olho na dívida brasileira: Editorial  Jornal O Estado de São Paulo Crescimento, estagnação...
22/07/2018 14:53
Bruno Boghossian: O peso da TV - Folha de S. Paulo   País está mais ligado à internet, mas...
22/07/2018 14:48
Sem vice, Bolsonaro oficializa candidatura em convenção do PSL A advogada Janaina Paschoal e o...
22/07/2018 14:37
Coluna 8 ou 80: Dr.Pessoa anuncia no Instagram que disputará Governo e complica cenário para...
22/07/2018 10:33
Papa no Angelus: distantes de Jesus e de seu amor, nos perdemos “Com Jesus ao lado se pode...
22/07/2018 10:30
Elio Gaspari: O PT e Ciro no golpe do plebiscito - O Globo Plebiscito logo após a eleição é golpe...
22/07/2018 10:26
Vera Magalhães: Uma nova lógica - O Estado de S.Paulo   Força inédita do Centrão é chave para...
22/07/2018 10:22
Luiz Carlos Azedo: O tabuleiro eleitoral - Correio Braziliense Pesaram a favor de Alckmin o...
22/07/2018 07:04
Saiba quais são os temas mais debatidos pelos brasileiros no Facebook   Segurança e economia...
22/07/2018 07:01
PSOL formaliza candidatura de Boulos à Presidência BRASÍLIA (Reuters) - Por Marcela Ayres O...
22/07/2018 06:31
Quinto aniversário da primeira Viagem Apostólica de Francisco Cinco anos da primeira Viagem...
22/07/2018 05:48
PERTENCE QUERIA DEFESA TÉCNICA, O PT, A PANFLETÁRIA Ministro aposentado do Supremo Tribunal...
21/07/2018 21:15
Míriam Leitão: Sombras do centrão - O Globo O apoio dos partidos do chamado centrão pode ser tanto...
21/07/2018 21:01
Adquira o subsídio Igreja em Oração Arquidiocese de Teresina - Por Cristiane Pinheiro A...
21/07/2018 17:12
A militância partidária: Editorial  Jornal O Estado de São Paulo A política depende dos...
21/07/2018 17:00
"Alckmin conseguiu unir no 'Centrão' toda a nata da corrupção", diz Bolsonaro Em publicação neste...
21/07/2018 15:16
Reflexão litúrgica para o XVI Domingo do Tempo Comum - B "No final das nossas atividades...
21/07/2018 15:10
Luiz Weber: O candidato bombado - Folha de S. Paulo   Geraldo Alckmin (PSDB) recorreu ao...

Contato

Jornalista Josenildo Melo Teresina - Piauí - Brazil WhatsApp : 86 99513 2539 josenildomelo@yahoo.com