Murillo de Aragão - Heróis anônimos - ISTOÉ

13/01/2018 12:55
Murillo de Aragão: Heróis anônimos
Revista ISTOÉ
 
Faltam heróis anônimos em todos os lugares, sobretudo nas redações, nos parlamentos, nas bancas de professores, nos tribunais e nos gabinetes
 
Quando o calo aperta ou uma bala perdida parte seu coração, os rugidos de leão nascem em seu peito, para, com o tempo, se transformarem em gemidos. E, depois, em discretos ganidos de filhote. Claro que as cicatrizes ficam em sua alma. Mas o jogo segue e você quer olhar além da curva, só que não consegue. Você tem a visão turvada pela civilização do espetáculo, contida em uma gigantesca Times Square de subúrbio.
 
Um raio de clarividência pode iluminar as sombras da mente, embotada por fake news, mentiras sinceras, verdades incompletas e narrativas novelescas. Em um átimo, você percebe que não temos instituições (nem é bem assim). Também percebe que nos faltam líderes (não é bem assim). Mas é o que temos para hoje: relatos imprecisos.
 
Temos instituições instáveis. Já outras são estáveis em sua submissão ao império do corporativismo. Existem instituições que pagam integralmente plano de saúde para funcionários, cônjuges, pais e filhos. Outras oferecem auxílio-moradia para quem já vive na própria cidade do trabalho e auxílio-paletó. Algumas dessas instituições estáveis são as que apontam o dedo para outras. Cumprem, apenas, metade do papel.
 
Certas lutam no pantanal institucional valendo-se do ativismo e da espetacularização de seus atos, em um fênomeno “tostines” (vende mais porque é fresquinho ou é mais fresquinho porque vende mais?) Sem espetacularização não há efeitos, ainda que o direito seja atropelado nesse movimento. Para muitos, lutadores desavisados da guerra cotidiana, direitos são como loteria: acreditamos que algum dia os teremos.
 
Colocamo-nos nas mãos de heróis, na melhor tradição sebastianista. Já tivemos heróis acidentais e heróis fabricados. Os heróis de hoje estão morrendo de overdose: uns, de corrupção; outros, de mordomias obsequiadas. A longo prazo, como disse o economista John Maynard Keynes, todos nós estaremos mortos. O problema é que alguns vão ter uma longa agonia. E de sua agonia outros farão alegorias, em que muitos poderão se encharcar. Como numa novela de Glória Perez.
 
Faltam heróis anônimos em todos os lugares, sobretudo nas redações, nos parlamentos, nas bancas de professores, nos tribunais e nos gabinetes. Heróis que possam apontar o dedo acusatório para outros sem que a outra mão se esconda em algum privilégio ou interesse específico. O que nos resta a fazer é olhar nos olhos. De nós mesmos e dos outros.
 
 

Notícias

22/07/2018 17:53
Bernardo Mello Franco: A eleição mais difícil  O Globo A total imprevisibilidade da corrida...
22/07/2018 17:47
Com aval do Diretório Nacional, o deputado estadual Dr. Pessoa, será candidato a governador pelo...
22/07/2018 15:00
De olho na dívida brasileira: Editorial  Jornal O Estado de São Paulo Crescimento, estagnação...
22/07/2018 14:53
Bruno Boghossian: O peso da TV - Folha de S. Paulo   País está mais ligado à internet, mas...
22/07/2018 14:48
Sem vice, Bolsonaro oficializa candidatura em convenção do PSL A advogada Janaina Paschoal e o...
22/07/2018 14:37
Coluna 8 ou 80: Dr.Pessoa anuncia no Instagram que disputará Governo e complica cenário para...
22/07/2018 10:33
Papa no Angelus: distantes de Jesus e de seu amor, nos perdemos “Com Jesus ao lado se pode...
22/07/2018 10:30
Elio Gaspari: O PT e Ciro no golpe do plebiscito - O Globo Plebiscito logo após a eleição é golpe...
22/07/2018 10:26
Vera Magalhães: Uma nova lógica - O Estado de S.Paulo   Força inédita do Centrão é chave para...
22/07/2018 10:22
Luiz Carlos Azedo: O tabuleiro eleitoral - Correio Braziliense Pesaram a favor de Alckmin o...
22/07/2018 07:04
Saiba quais são os temas mais debatidos pelos brasileiros no Facebook   Segurança e economia...
22/07/2018 07:01
PSOL formaliza candidatura de Boulos à Presidência BRASÍLIA (Reuters) - Por Marcela Ayres O...
22/07/2018 06:31
Quinto aniversário da primeira Viagem Apostólica de Francisco Cinco anos da primeira Viagem...
22/07/2018 05:48
PERTENCE QUERIA DEFESA TÉCNICA, O PT, A PANFLETÁRIA Ministro aposentado do Supremo Tribunal...
21/07/2018 21:15
Míriam Leitão: Sombras do centrão - O Globo O apoio dos partidos do chamado centrão pode ser tanto...
21/07/2018 21:01
Adquira o subsídio Igreja em Oração Arquidiocese de Teresina - Por Cristiane Pinheiro A...
21/07/2018 17:12
A militância partidária: Editorial  Jornal O Estado de São Paulo A política depende dos...
21/07/2018 17:00
"Alckmin conseguiu unir no 'Centrão' toda a nata da corrupção", diz Bolsonaro Em publicação neste...
21/07/2018 15:16
Reflexão litúrgica para o XVI Domingo do Tempo Comum - B "No final das nossas atividades...
21/07/2018 15:10
Luiz Weber: O candidato bombado - Folha de S. Paulo   Geraldo Alckmin (PSDB) recorreu ao...

Contato

Jornalista Josenildo Melo Teresina - Piauí - Brazil WhatsApp : 86 99513 2539 josenildomelo@yahoo.com