O compromisso do presidente – Editorial

09/10/2017 22:49
O compromisso do presidente – Editorial | O Estado de S. Paulo
A mais recente pesquisa realizada pelo instituto Datafolha sobre o ânimo dos brasileiros em relação ao governo do presidente Michel Temer revelou um dado alvissareiro que foi pouco explorado por grande parte dos analistas que se debruçaram sobre os dados da consulta realizada entre os dias 27 e 28 de setembro e divulgada no início deste mês.
 
Embora o presidente Michel Temer continue com um índice de aprovação baixíssimo – apenas 5% dos consultados pelo Datafolha consideram o seu governo bom ou ótimo –, cresceu o número de brasileiros que acreditam que a sua permanência no cargo representa um importante fator de estabilidade para que o País possa atravessar a turbulência política que se sucedeu à cassação de Dilma Rousseff sem que a recuperação econômica em andamento seja ameaçada pela incerteza que poderia advir de um eventual afastamento do presidente.
 
Chega-se a tal conclusão a partir de uma leitura objetiva dos resultados apresentados pelo Datafolha, dissipadas as névoas das escolhas político-partidárias que, não raro, são capazes de obnubilar a clareza de pensamento.
 
De acordo com o Datafolha, 89% dos entrevistados querem que a Câmara dos Deputados autorize o Supremo Tribunal Federal (STF) a analisar a nova denúncia contra Temer apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) em meados de setembro.
 
Já sobre o afastamento imediato do presidente, 59% dos consultados disseram que “é melhor que ele (Temer) saia agora”, ante os 37% que foram em sentido inverso, vale dizer, acreditam que “é melhor que ele termine o mandato”.
 
O paradoxo das respostas – manifestado pela considerável diferença de 30 pontos porcentuais que separa o grupo dos que defendem o prosseguimento da denúncia contra Michel Temer e o dos que pedem a sua saída imediata do cargo – pode ser explicado pela má formulação da pergunta feita pelo Datafolha aos entrevistados.
 
Como consta no questionário disponível no site do instituto, a pergunta P.13 foi assim formulada aos respondentes: “Na sua opinião, os deputados federais deveriam ou não autorizar a segunda denúncia do Ministério Público contra o presidente Michel Temer?”.
 
Dado o alto índice de impopularidade do governo – somado à não menos importante sensação de desalento dos brasileiros em relação aos políticos em geral – era de esperar que o porcentual dos que defendem o prosseguimento da denúncia contra Temer fosse alto, como de fato foi.
 
O problema é que a pergunta feita pelo Datafolha, da forma como foi redigida, omite dos entrevistados a grave consequência da autorização, pela Câmara, para a análise da nova denúncia pelo STF: o afastamento imediato do presidente Michel Temer.
 
Em outra pesquisa feita pelo Datafolha, em abril, 65% dos entrevistados defendiam o afastamento imediato do presidente Temer. Em setembro, como já dito, este número caiu para 59%. Ao mesmo tempo, no intervalo de cinco meses entre as duas pesquisas, cresceu o número de brasileiros que acreditam que “é melhor que ele termine o mandato”. Em abril, este contingente era de 30%, contra os 37% apurados em setembro.
 
É evidente que um número maior de brasileiros vê na permanência de Temer no cargo um fator de estabilidade para o País. Em outras palavras, a eventual destituição do presidente agravaria a crise política e, consequentemente, seria uma ameaça ao processo de recuperação econômica que já é percebido por uma expressiva parcela da sociedade.
 
A pesquisa revela o aumento do contingente de brasileiros que têm uma visão cautelosa e responsável sobre o futuro imediato do País, um cuidado que muitas vezes falta àqueles sobre os quais recai a responsabilidade de zelar pelo bom rumo da Nação.
 
Quando assumiu a Presidência, Michel Temer não assumiu o compromisso de ser popular. Comprometeu-se, isso sim, a ser fiador da estabilidade econômica que haverá de legar a seu sucessor um país melhor.
 
 

Notícias

17/12/2017 21:12
Série Conhecimento - História do Chile Conforme Thais Pacievitch O navegador português...
17/12/2017 21:01
Sebastián Piñera é eleito novo presidente do Chile   Sebastián Piñera vota no segundo...
17/12/2017 18:30
Vencedor do prêmio Nobel de economia diz que moeda virtual Bitcoin é uma bolha   Jornal...
17/12/2017 18:17
Temer discute Previdência com Maia, Moreira e presidente da Riachuelo Presidente passa o dia...
17/12/2017 16:52
Fernando Gabeira: As marcas do ano - O Globo   Os japoneses escolheram um ideograma...
17/12/2017 16:42
Temer recebe Gilmar Mendes no Palácio da Alvorada Na pauta, a adoção do...
17/12/2017 12:58
Temer e Pezão assinam empréstimo de R$ 2,9 bilhões ao governo do Rio Cidade do Rio consegue...
17/12/2017 12:47
Papa: “Alegria, oração e gratidão" para viver o Natal de modo autêntico Neste último período...
17/12/2017 11:13
Reforma branda beneficiará 52% dos servidores federais Governo estuda alternativa para...
17/12/2017 11:05
Com extras, 71% dos juízes recebem acima do teto Remuneração média de magistrados nos...
17/12/2017 08:53
Temer deve viajar a Maceió na 4ª para entregas do Minha Casa Minha Vida Ministro das Cidades...
17/12/2017 08:45
Feliz 81 anos Papa Francisco Este ano o aniversário do Papa Francisco é comemorado em um...
17/12/2017 08:32
Eliane Cantanhêde: 2018 nas mãos do TRF-4 - O Estado de S.Paulo   O processo contra...
17/12/2017 08:30
Vera Magalhães: Erro de cálculo - O Estado de S.Paulo   O atual Congresso Nacional...
17/12/2017 08:26
Vinicius Torres Freire: Lula e os pobres na eleição bananeira - Folha de S....
17/12/2017 08:20
Cacá Diegues: Quem são os vândalos - O Globo   Quem quiser que acredite...
17/12/2017 01:00
Sócrates - Filósofo grego - Biografia de Sócrates Sócrates (470 a.C.-399 a.C.) foi um...
17/12/2017 00:41
17 DE DEZEMBRO DE 2017 - Coluna do Cláudio Humberto WALFRIDO SERIA VICE EM IMPROVÁVEL...
16/12/2017 23:13
O Brasil gosta de brincar com fogo Por Sérgio Pardellas - Site da Revista...
16/12/2017 22:56
CIRO NOGUEIRA - Os cassinos vão atrair capital estrangeiro  Por Octávio Costa e Ary...

Contato

Jornalista Josenildo Melo Teresina - Piauí - Brazil WhatsApp : 86 99513 2539 josenildomelo@bol.com.br