Vera Magalhães: Aécio fora da eleição?

21/03/2018 08:51
Vera Magalhães: Aécio fora da eleição?
- O Estado de S.Paulo
 
É quase certo que o senador tucano não será candidato a nada em outubro
 
É quase certo que Aécio Neves não será candidato a nada em outubro. A provável saída de cena de alguém que há menos de quatro anos teve mais de 50 milhões de votos na eleição para presidente é mais um retrato de como a política brasileira foi virada do avesso na última quadra. Um ex-presidente na iminência de ser preso, a presidente reeleita apeada do cargo um ano e três meses depois da posse, o presidente que a sucedeu duas vezes denunciado pelo Ministério Público Federal e todo um elenco do primeiro escalão de vários partidos atrás das grades.
 
Aécio já externou a intenção de não disputar a reeleição ao Senado nem tentar uma vaga na Câmara aos seus advogados e ao seu grupo político. Isso teve peso fundamental na sofrida decisão de Antonio Anastasia de ir para o sacrifício pessoal e aceitar ser candidato ao governo de Minas – o que facilita a vida de Geraldo Alckmin na disputa presidencial. Sem Aécio, Anastasia pode negociar a composição da chapa majoritária com os partidos que pretende atrair para a aliança. E, principalmente, não terá de passar a campanha respondendo pela situação do aliado na Justiça.
 
Do lado jurídico, Aécio, denunciado no Supremo Tribunal Federal por corrupção passiva e obstrução da Justiça, tem externado convicção de que o Supremo vai restringir em muito o foro privilegiado. Assim, perderia o sentido buscar um mandato apenas para manter a prerrogativa. Advogados o aconselham a tentar “começar do zero” seu processo, que poderia, caso haja de fato a revisão do foro, descer à primeira instância.
 
É aí que entram os conselheiros políticos, tentando de novo convencê-lo daquilo que não conseguiram quando o caso explodiu: a sair de cena para, se for absolvido lá na frente, voltar à vida pública redimido. Desta vez ele tem se mostrado sensível aos apelos – e às pesquisas que mostram a dificuldade que terá de ser eleito depois do derretimento de seu cacife político pelo que foi revelado na Lava Jato.
 
Lula, Aécio, Eduardo Cunha, Sérgio Cabral, Geddel Vieira Lima e Henrique Eduardo Alves são só alguns dos nomes que saíram de postos de comando para, em poucos anos, cair no inferno político e judicial. Para quem acha que nada mudou no Brasil e que não se avançou no combate à impunidade, cumpre ler a lista (e as siglas partidárias) em voz alta.
 
STF
 
Isolada, Cármen Lúcia vive seu pior pesadelo
 
Há dez dias, escrevi neste espaço que, sob a justificativa de não “apequenar” o Supremo Tribunal Federal, a ministra Cármen Lúcia estava fazendo justamente isso. Defendi, na ocasião, que adiar a discussão, pela Corte, do mérito das ações que tratam da possibilidade de cumprimento de pena de prisão após a condenação em segunda instância não evitaria a pressão. E que quanto mais se aproximava o momento da execução da pena do ex-presidente Lula, mais as coisas se tornariam indissociáveis. Desde então, a presidente insistiu em sua disposição de deixar o tema fora da pauta, e se isolou ainda mais. Pois nesta quarta-feira ela pode viver seu pior pesadelo: diante do imbróglio em que se transformou a questão, pode ser questionada na sessão do plenário, e não na administrativa – em rede nacional, portanto – , sobre o assunto. Pior: a admoestação pública pode vir do decano da Corte, Celso de Mello, que se sentiu traído por ela ao tentar, sem sucesso, uma reunião discreta para buscar a saída para o impasse
 
 

Notícias

22/07/2018 17:53
Bernardo Mello Franco: A eleição mais difícil  O Globo A total imprevisibilidade da corrida...
22/07/2018 17:47
Com aval do Diretório Nacional, o deputado estadual Dr. Pessoa, será candidato a governador pelo...
22/07/2018 15:00
De olho na dívida brasileira: Editorial  Jornal O Estado de São Paulo Crescimento, estagnação...
22/07/2018 14:53
Bruno Boghossian: O peso da TV - Folha de S. Paulo   País está mais ligado à internet, mas...
22/07/2018 14:48
Sem vice, Bolsonaro oficializa candidatura em convenção do PSL A advogada Janaina Paschoal e o...
22/07/2018 14:37
Coluna 8 ou 80: Dr.Pessoa anuncia no Instagram que disputará Governo e complica cenário para...
22/07/2018 10:33
Papa no Angelus: distantes de Jesus e de seu amor, nos perdemos “Com Jesus ao lado se pode...
22/07/2018 10:30
Elio Gaspari: O PT e Ciro no golpe do plebiscito - O Globo Plebiscito logo após a eleição é golpe...
22/07/2018 10:26
Vera Magalhães: Uma nova lógica - O Estado de S.Paulo   Força inédita do Centrão é chave para...
22/07/2018 10:22
Luiz Carlos Azedo: O tabuleiro eleitoral - Correio Braziliense Pesaram a favor de Alckmin o...
22/07/2018 07:04
Saiba quais são os temas mais debatidos pelos brasileiros no Facebook   Segurança e economia...
22/07/2018 07:01
PSOL formaliza candidatura de Boulos à Presidência BRASÍLIA (Reuters) - Por Marcela Ayres O...
22/07/2018 06:31
Quinto aniversário da primeira Viagem Apostólica de Francisco Cinco anos da primeira Viagem...
22/07/2018 05:48
PERTENCE QUERIA DEFESA TÉCNICA, O PT, A PANFLETÁRIA Ministro aposentado do Supremo Tribunal...
21/07/2018 21:15
Míriam Leitão: Sombras do centrão - O Globo O apoio dos partidos do chamado centrão pode ser tanto...
21/07/2018 21:01
Adquira o subsídio Igreja em Oração Arquidiocese de Teresina - Por Cristiane Pinheiro A...
21/07/2018 17:12
A militância partidária: Editorial  Jornal O Estado de São Paulo A política depende dos...
21/07/2018 17:00
"Alckmin conseguiu unir no 'Centrão' toda a nata da corrupção", diz Bolsonaro Em publicação neste...
21/07/2018 15:16
Reflexão litúrgica para o XVI Domingo do Tempo Comum - B "No final das nossas atividades...
21/07/2018 15:10
Luiz Weber: O candidato bombado - Folha de S. Paulo   Geraldo Alckmin (PSDB) recorreu ao...

Contato

Jornalista Josenildo Melo Teresina - Piauí - Brazil WhatsApp : 86 99513 2539 josenildomelo@yahoo.com